Translate

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Pancnacity de 29 de setembro de 2017 - LabMani

A mesa de panc
Pelo menos as fotos posto aqui, para a turma se recordar e eu me lembrar que foi com esta turma de treinees do Restaurante Mani - LabMani que criamos o símbolo panc. Na verdade, foi a Raquel. Foi só lançar o desafio para criarmos um símbolo que representasse a sigla Panc (plantas alimentícias não convencionais) que a Raquel Marques me saiu com esta - o símbolo punk na boca. Acho que pegou! Pelo menos com esta turma divertida e interessada.
Macarrão azul com jenipapo verde
Nosso almoço: jaca verde, mangaritos, bolinho de feijão fermentado, salada de mamão verde etc 
Macarrão azul - tem receita aqui no blog 
Pão azul e abóbora. No pão também tem jenipapo verde pra ficar azul. 
Símbolo panc!  Embaixo de um pé de chapéu-de-sol, cujos frutos são comestíveis 
Colhemos uvaia! 

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Pancnacity 24, de 12 de agosto de 2017

Resultado do forrageio  
Já estamos no Pancnacity 24, quem diria. E a cada expedição, uma novidade ou uma espécie que volta à mesa depois de um ano como as flores de cerejeira com curtíssima temporada. Seguem aqui algumas fotos:
Cerejeira rosa claro 
Todo mundo cheirando 
As primeiras jacas 
Pão bicolor 
Pão de abóbora e de jenipapo verde - que dá azul 
Bolinho de feijão fradinho fermentado - o azul  é o jenipapo verde - veja posts atrás 
Farofa de içá, salada de mamão verde, bolinho de feijão fradinho, canjiquinha com coração de bananeira, feijão guandu, berinjela com taioba, cará moela com flores de capuchinha 
Sobremesa: manjar azul de coco e araruta com vinagre de umbu (o azul é dado pelo jenipapo verde) 
A turma! 

segunda-feira, 24 de julho de 2017

PancNaCity de 14 de julho de 2017 - LabMani

Nossa colheita do dia 
Já ia esquecendo de publicar aqui a turma do LabManí que participou do último PancNaCity. E por uma dificuldade técnica, as fotos não seguem ordem alguma. Fique com minhas desculpas.

Turminha boa! (pelo menos em simetria e arranjo, nada combinado) 
Urucum colhido na praça 
Frango caipira com cará-moela, farofa de içá, cuscuz de canjiquinha com
guasca e castanha de caju, feijão guandu com feijão de corda, salada de
mamão verde, salada de salsa-do-líbano, serralha com malvavisco  
Na Horta City Lapa 
No Espaço Come-se. O primeiro dia de uso - na verdade, a edícula reformada
Pão com pasta de jiló sapecado com manjericão zathar 
A alegria das meninas que colheram araruta 
Pancs que estavam em casa no dia 
O pão do dia 

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Pancnacity de 24 de junho de 2017

Para participar do pancnacity, basta me mandar email: neide.rigo@gmail.com . Tenho uma lista única. Quando decido a data, mando para todos os interessados e quem responder primeiro leva a vaga. Infelizmente não consigo atender muita gente de cada vez. Mas também é complicado se for mais gente porque não daria pra dar atenção a todos. Seguem algumas fotos do que vimos, do que comemos e da turma:
Cambuquira que encontramos numa calçada 
Coração de banana ornamental 
Banana ornamental Musa velutina 
Bolinhos de feijão fradinho coloridos - batata doce roxa, cúrcuma, taioba e jenipapo (o azul marinho) 
Tudo panc! (e banc - içá na farofa) 
Jiló sapecado com sal, alho, limão, azeite e manjericão-zathar 
Pão de batata doce roxa e abóbora com cúrcuma 
De jenipapo verde pra ficar azul 
Manteiga de malvavisco e limão 

terça-feira, 20 de junho de 2017

Pancnacity de 12 de junho de 2017 com cozinheiros do Arturito


No dia 12 de junho, dia dos namorados, fizemos o Pancnacity com os cozinheiros do restaurante Arturito. Mesmo sabendo que teriam um longa jornada, com o restaurante bombando à noite - e ninguém estava de folga, claro - , saíram animados pelas ruas reconhecendo espécies comestíveis. E os meninos românticos ainda colheram flores para dar às namoradas para comemorar o dia. Muitos acham que não sabem nada de Panc e aí a gente vai conversando com um e com outro e descobre que alguns conhecem espécies que em suas terras são dadas a porcos e não a gentes. E que são panc espécies que já comeram quando crianças, mas que deixaram pra trás. E que panc também pode ser espécies convencionais em estágios não convencionais ou variedades não convencionais. Na Horta City Lapa já encontramos batata doce roxa, araruta, hibisco, malvavisco, e tantas outras. Nas ruas próximas, urucum, maçã de elefante, amendoim de árvore, beldroegas, caruru e outras folhas. Na foto acima, um pouco do que colhemos e identificamos.  E a seguir algumas fotos do encontro cheio de graça.
Colhendo batata doce roxa
Achou uma!
Araruta
Cozinheiro Panc
Eles se encantaram com o amendoim de árvore 
Na volta do passeio, sempre tem pão!
E comida panc!
Torta de maçã de elefante, mamãozinho da serra, creme de mandioca com vinagre de umbu 
Mamãozinho da serra (Vasconcellea cauliflora) - não é jaracatiá 
Torta de maçã de elefante - bem ácida - lembra torta de maçã - a massa foi feita com
farinha de mandioca (de raspa) em vez de trigo 
O mamãozinho da serra recheado com doce de coco 

sexta-feira, 19 de maio de 2017

PancNaCity de 13 de maio de 2017


Aproveitando a expedição do Lab Mani um dia antes, outra se emendou no dia seguinte, sábado. E lá fomos nós em busca de mais espécies alimentícias que brotam nas calçadas - espontaneamente ou não. A comida foi quase a mesma, com pequenas variações.

Os últimos amendoins de árvore da temporada 
Todo mundo adora 
Colhendo malvavisco pra salada 
No meio do caminho tinha o Seu Lucas, guarda de rua e guardião das
 plantas de  seu jardim particular 
A comida igual à de ontem. Mas teve feijão espada e a polenta branca com
ora-pro-nobis mudou de formato 
A manteiga de flores e ervas com limão cravo 
Com pão e nhac!
A turma! (teve jornalista francês fazendo reportagem)